Entrevista com Lucy And The Popsonics

Entrevista com o Duo Brasiliense de electropunk.

UNDEFLORIPA – Quando eu vejo uma banda estourar penso logo, lá vem mais uma banda queridinha da mídia, mas não parece ser o caso de vocês, vocês tocaram em tantos lugares, são elogiados por tantos veículos da impressa e ainda conquistar os ouvidos de um notório fã de punk e hc como o Eduardo Mesquita (colunista da Revista Dynamite, Interventor do Programa de Web Rádio Loaded e radialista, como vocês conseguem tudo isso?

LUCY AND POPSONICS – Porque nos somos Punks!!! hehehehe… Não sabemos tocar, cantar nem pensar… nossas músicas são simples, com 3 ou 4 acordes, letras simples e músicas de no máximo 3 minutinhos. Nunca fomos músicos, nunca discotecamos, então não sabemos nada de teoria musical e nem como fazer baterias no computador. Aprendemos um pouquinho por causa da imensa vontade de fazer alguma coisa. Entramos no espírito do “Do it for youself”!

Brasília tava meio parada e não havia na cena nada que nos agradasse. Então resolvemos dar uma pirada e fazer alguma coisa.
Misturamos tudo que gostamos, melodias rápidas, agitação, batidinhas eletrônicas e umas letras bobinhas e engraçadinhas. Somos basicamente inspirados nas bandas francesas, como Stereo Total, Stereo Lab, Prototypes, mas amamos Sex Pistols, Ramones, Kraftwerk. Acho que somos loucos!

Corrigindo: Nossa relação com a mídia foi natural. Começamos a ser bastante comentados e depois eles se interessaram pela gente.

UNDERFLORIPA – Como é viver o tempo todo tocando e tendo um relacionamento com o seu parceiro de banda? Vocês estão juntos há seis anos, não é? Não se sentem um pouco Sonic Youth ?

LUCY AND POPSONICS – Estamos juntos há 8 anos e queremos estar juntos até os nossos 160 anos! hehehehe… Nossa vivência sempre foi no meio do rock! Nos conhecemos em uma outra banda na adolescência, depois paramos de tocar por um tempo, mas continuávamos a viver a cena de alguma forma. Nunca quis voltar a trabalhar com banda, mas a proposta do Pil foi irrecusável para dar uma animada na nossa vida de casal. hehehe…

No início do L&P era só pra entrar nos shows de graça e nos divertir um pouquinho, logo vieram os convites e resolvemos profissionalizar um tiquinho só… e está sendo muito divertido! Os produtores pulam de alegria porque não precisa mais do que uma cama de solteiro pra gente dormir e pouca comida pra alimentar! ehehehehe…

Se nos sentimos o Sonic Youth??? Também, assim como o The Kills e Stereo Total também!

UNDERFLORIPA – Existem planos para um cd oficial para esse ano? (A ENTREVISTA FOI FEITA ANTES DO LANÇAMENTO DO CD PELA MONSTRO DISCOS/PULSORAMA)

LUCY AND POPSONICS – Estamos gravando! O nome do disco é “A fábula (ou a farsa?) de dois Eletropandas”. Estamos preparando o lançamento para o segundo trimestre (ABR – JUN) de 2007. Em termos musicais, ainda estamos na pré-produção. Já a capa e o encarte, estamos finalizando.

Nosso selo é o Pulsorama, um novo selo de Brasília que veio para fomentar a cena pop (de Brasília!). O dono do selo é o famoso Cláudio Bull (ex-Divine e atual Superquadra). Ele é um grande admirador da cena e acha que ela anda meio apagada do meio nacional. Nossos produtores são o Rafinha do Bois de Gerião e o famoso Zé Pedro, além de produtor de música, diretor e roteirista de filme pornô.

A banda se identificou com o selo e o selo conosco. Eles nos escolheram para sermos o primeiro lançamento e estamos muito orgulhosos disso.

UNDER FLORIPA – Porque toda mulher tem nóia de achar que está gorda? Eu andei lendo seu blogger, ou diário e muitas vezes você reclamava disso…

LUCY AND POPSONICS – Hehehehe… eu sou gorda!!! É sério, eu ando muito além do meu peso normal. Eu acho que é a idade e a fome! heheehhe…

UNDERFLORIPA – Onde vocês não tocaram que têm vontade de tocar e onde vocês tocaram que foi”o show”?

LUCY AND POPSONICS – Queremos tocar no Nordeste. Meus parentes são de Natal e João Pessoa e parte da minha infância foi por lá também. Quero ter o gostinho de voltar à terra dos meus pais para tocar. Além dessa minha vontade, muitos amigos meus dizem que os roqueiros nordestinos são os mais pirados do planeta. O Pil quer tocar por lá porque ele acha que tá muito branco.

O show foi o Bananada 2006. Nem imaginávamos que o público goiano ia gostar, mas eu pirei demais! Sabe como é… foi a primeira vez que saímos de Brasília para tocar. O público daqui é meio exigente e curte muito mais assistir que pular e agitar. Goiânia não… somos uma banda que mistura eletro e punk com um estilo tão francês de ser e na platéia víamos pessoas com camisetas do Iron Maiden pulando…

Os goianos são demais!

UNDERFLORIPA – Como é o processo de criação entre vocês dois?

LUCY AND POPSONICS – Bom… ele faz as baterias. No inicio eu fiz algumas, mas elas ficavam um lixo! hehehe… Resolvemos então que ele se entenderia com a Lucy e eu só diria se estava bom ou não. Com isso, passamos a evoluir bastante nas batidas, mas as pessoas só perceberão daqui a um tempo quando nosso repertório tiver mais músicas novas.

Com a bateria pronta, colocamos a guitarra o Pil e a Lucy tocam enquanto eu encaixo alguma frase especial na música. Da frase, nascem as letras. Eu escrevo e ele apenas adiciona ou substitui algumas coisas.

Temos um caderno onde anotamos as frases (que inclusive to procurando agora para as próximas músicas). Nele anotamos as mais legais. Temos o recurso dos sussurros e gemidos. Segundo o Bill (Hello Crazy People), que é produtor e consultor da banda, sempre fala que eles são gostosos de serem ouvidos. Então, passei a aperfeiçoá-los. No início eu tinha vergonha de cantar, mas agora não, “dou uma de gostosa”!

Eu estou escutando bandas que fazem isso como o The Kills. As vezes eu assisto uns filmes que me dão inspiração também. Ahhh… depois de tudo isso pronto, eu coloco o baixo e as vezes até modificamos as guitarras.

UNDERFLORIPA – Passou pela sua cabeça colocar uma terceira pessoa ou mais pessoas na banda?

LUCY AND POPSONICS – Sempre alguém pede para entrar, seja baterista ou guitarrista. Temos algo bem claro na banda: se for pra colocar mais alguém, nos acabamos e montamos outro projeto. Esse projeto está fechado para nos dois apenas. Já passou pela minha cabeça colocar um amigo na guitarra… acho que seria mais jogo que um baterista, mas quando o efeito da loucura passou, a idéia se esmoreceu… graças a Deus!

Na verdade, nem o Pil sabe disso. Ele vai ler aentrevista e vai me dizer que sou louca! Heehehehe, “sabe” é melhor! Hhehehe, mas existe uma forma de você ser um Popsonic, sem necessariamente entrar para a banda.

UNDERLFORIPA – E que forma é essa?

LUCY AND POPSONICS – Então, temos fotógrafos, videomakers, cartunistas, estilistas que trabalham com a gente. Consideramos que eles são Popsonics também.


Designer, sociólogo de boteco, baixista de fim de semana, DJ ocasional, leitor ávido de Wikipédia e escritor de romances de gaveta. Manézinho de nascimento, criado em Porto Alegre e atualmente mora em São Paulo. Como todo bom crítico, já tocou em várias bandas que não deram em nada.


Underfloripa (2007-2019) Todos os Direitos Reservados. Site em Wordpress mantido por Sierra November. Feito com amor em Floripa e São Paulo.